Como a luta contra a mudança climática pode ajudar a economia dos Estados Unidos

Please log in or register to like posts.
GIPhotoStock/Getty Images

GIPhotoStock/Getty Images

Painéis solares fotovoltaicos e turbinas eólicas no Parque Eólico San Gorgonio Pass, em Palm Springs, Califórnia

A força da economia dos Estados Unidos aponta não apenas para a recuperação das profundezas da pandemia, mas também para a expansão acima dos níveis pré-pandêmicos. As previsões são de crescimento do PIB acima de 6% para este ano – a taxa de crescimento apenas no primeiro trimestre foi de fenomenais 6,4%. Em uma opinião amplamente difundida, o CEO do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, declarou em sua recente carta aos acionistas que “a economia dos EUA provavelmente vai crescer”, o que poderia “facilmente chegar a 2023”.

Mesmo com a economia ganhando impulso significativo, existem outras forças: o plano de infraestrutura de US$ 2 trilhões do governo Biden, um plano para reduzir as emissões de gases de efeito estufa pela metade até o final da década, junto com aumentos de impostos corporativos propostos, de 21% para 28% , mais um imposto corporativo mínimo.

LEIA TAMBÉM: Será que a energia eólica é realmente verde?

A questão é como essas forças afetarão a economia a longo prazo. Elas farão com que a expansão pare? Ou esses planos e iniciativas poderiam resultar em maior eficiência e novas oportunidades econômicas?

 

Investir no verde

O presidente dos EUA, Joe Biden, tem uma oportunidade única de incentivar as empresas a aderirem à sua agenda climática com investimentos “verdes” para criar novas tecnologias. Isso não apenas fará com que as indústrias cumpram os mandatos federais propostos, mas também ajudará a um maior crescimento à medida que a economia gira em direção a emissões zero de carbono.

Mandatos verdes irão estimular o investimento em toda a economia. Por exemplo, as empresas automotivas devem reduzir as emissões dos veículos existentes e continuar a desenvolver automóveis de energia alternativa. Considere a Ford, que investiu no desenvolvimento e fabricação de baterias domésticas para sua futura frota de veículos elétricos.

As atualizações da rede elétrica dos EUA e a transição para fontes de energia mais limpas estimulariam o investimento privado na geração de energia. A transição de combustíveis fósseis para energia limpa também está ajudando a compensar as perdas de empregos em áreas como a mineração de carvão, com novas oportunidades de treinamento e trabalho na geração eólica e solar.

As reduções de emissões e o combate às mudanças climáticas serão onerosos, mas se todas as empresas forem forçadas a arcar com os mesmos custos, não haverá desvantagens relativas. Isso é especialmente verdadeiro à medida que os esforços verdes ganham terreno em todo o mundo. O Japão e o Canadá, por exemplo, fizeram novas promessas para reduzir as emissões, embora a Índia e a China não o tenham feito. Se houver retardatários no controle das emissões de gases de efeito estufa, as políticas comerciais podem abordar essas discrepâncias.

Enquanto isso, iniciativas de investimento privado também buscam promover uma agenda verde global, como a recém-anunciada parceria entre “Bloomberg” e Goldman Sachs, para implantar capital em investimentos de transição climática, com foco em mercados em desenvolvimento como Sul e Sudeste Ásia.

 

A recompensa ESG

Conforme as empresas examinam seus gastos de capital nos próximos anos, a tecnologia verde pode trazer benefícios adicionais, especialmente à medida que os investimentos ambientais, sociais e de governança (ESG, da sigla em inglês) continuam a aumentar em popularidade. Mais de US$ 51 bilhões em dinheiro novo foram investidos em fundos mútuos ESG e ETFs (Fundo Negociado em Bolsa, da sigla em inglês) dos EUA em 2020 – o quinto ano consecutivo de crescimento recorde. O novo capital líquido no ano passado também foi mais do que o dobro dos US$ 21 bilhões investidos em fundos ESG em 2019.

LEIA TAMBÉM: Coca-Cola adere a programa Adote um Parque na Amazônia

Esses fundos se concentram em empresas que atendem aos critérios ESG. No meio ambiente, isso geralmente significa aquelas que não dependem de combustíveis fósseis; para a sociedade, que se relaciona com a promoção da diversidade e inclusão; de governança, que se refere a conselhos independentes.

As empresas que aderem ao plano verde podem tornar suas ações mais atraentes para os investidores ESG – e isso pode ser positivo para as avaliações. Pode haver outros benefícios também, conforme destacado em um relatório recente da consultoria McKinsey. Ele vinculou iniciativas ESG a receitas mais altas de novos mercados, bem como à expansão dos existentes; redução de custos, especialmente em matérias-primas; custos regulatórios e legais mais baixos; e maior produtividade dos funcionários.

 

O Plano de Imposto de Biden

Mas o que dizer dos aumentos de impostos, incluindo uma alíquota corporativa mais alta mais um plano separado que aumentaria os impostos sobre ganhos de capital para pessoas que ganham mais de US$ 1 milhão por ano? O governo Biden argumenta que a receita tributária adicional é necessária para ajudar a reduzir o déficit, que cresceu nos últimos quatro anos. Felizmente, nenhum dos planos fiscais de Biden será grande o suficiente para desacelerar a economia do país. Mas, infelizmente, nenhuma das medidas fiscais será suficiente para cortar o déficit ou pagar por amplas atualizações de infraestrutura.

Os críticos, como era de se esperar, condenam o plano tributário do presidente Biden. O deputado Kevin Brady do Texas, o republicano no ranking do Comitê de Modos e Meios da Câmara, alertou sobre o “crescimento e investimento mais lentos nos EUA, sabotando não apenas nossa recuperação econômica, mas também o crescimento futuro”.

A economia, no entanto, está se expandindo a uma taxa que não é facilmente prejudicada por um aumento nas taxas de impostos. Mas isso não é tudo. Os investimentos nas iniciativas de infraestrutura e mudanças climáticas podem gerar novas atividades econômicas e criar mais empregos.

LEIA TAMBÉM: Estudo mostra que geleiras estão derretendo em ritmo acelerado

 

Mais crescimento do que custos

No curto prazo, o crescimento da economia parece assegurado à medida que a recuperação dá lugar a uma expansão rápida. Olhando para o futuro, mais oportunidades de crescimento são prováveis, especialmente por meio de investimentos em infraestrutura e tecnologia verde para reduzir as emissões. Haverá custos significativos envolvidos em um momento em que as empresas podem estar pagando uma taxa de imposto mais elevada. No entanto, ambas as agendas provavelmente serão positivas, ajudando a manter a expansão da economia no longo prazo.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *